Acessibilidade
Evento
Seminário | Mendeleev e a Tabela Periódica

Seminário | Mendeleev e a Tabela Periódica

ISEL | Auditório A, 14 / Nov / 19 às 14:00

SEMINÁRIO DE FÍSICA E DE ENGENHARIA QUÍMICA

Mendeleev e a Tabela Periódica - Química e Física da acomodação dos Elementos -
Oradora: Raquel Gonçalves Maia (Departamento de Química Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa)


Vi num sonho uma tabela onde todos os elementos químicos se ajustavam como era exigido”. Estas palavras, atribuídas ao cientista e professor russo Dmitri Mendeleev, não são mera fantasia. Mendeleev publicou, em 1869, o livro de texto “Princípios de Química”, auxiliar precioso para as suas aulas. Nele organizou, numa única página, um sistema ordenado dos elementos, a “Tabela Periódica”.
Mendeleev teve precursores e contemporâneos na elaboração do sistema periódico. Mas foi a sua versão, mais detalhada, com espaços de previsão, que maior impacte veio a ter na comunidade científica. Era aparentemente um sistema completo, produto definitivo, desde que o futuro se encarregasse de preencher os elementos em falta e corrigisse os erros apontados. Mas não era. 
Foram muitos os elementos químicos que se vieram a descobrir: terras raras, gases nobres,... Como incorporá-los na Tabela? E que dizer das descobertas dos Curie, da radioatividade e da transmutação? Da divisibilidade do átomo, dos raios X, da radioatividade? Preconiza-se o abandono da Tabela Periódica. Mendeleev teve dificuldade em aceitar a existência do eletrão. Podemos imaginar o que teria sofrido se tivesse vindo a conhecer o núcleo, protões, neutrões, o número atómico e as centenas de partículas subnucleares. 
Mas a Tabela Periódica, ainda que em permanente renovação, tudo ultrapassou. Este documento, de 150 anos, continua a invadir todo o planeta e mais além.